IFOAM (Federação Internacional de Movimentos de Agricultura Orgânica) informa: entre 1999 e 2012, área de cultivo de alimentos orgânicos cresceu 300%, totalizando 3,7 milhões de hectares.

A informação foi divulgada durante a 9ª edição do Fórum Internacional de Agricultura Orgânica e Sustentável, realizada em junho, em São Paulo, por Denise Godinho, representante da federação.

Sitio Cachoeira - RabanetePor outro lado, apesar de comida orgânica ser sinônimo de saúde, as pessoas ainda vivem num mundo pautado pelo “tempo é dinheiro” e onde tudo é consumido rapidamente. Esta situação tem acarretado um aumento do uso indiscriminado de agrotóxicos e fertilizantes como solução para redução das perdas agrícolas e agilização da produção. Resultado: garantem alimento à parte da população, mas prejudicam a saúde.

Mas a consciência dessas implicações podem modificar este cenário. Segundo a IFOAM, mesmo com a crise econômica europeia – maior mercado consumidor de produtos orgânicos – entre 2011 e 2012 o mercado mundial desse tipo de agricultura cresceu, aproximadamente, 6,36%.

De acordo com Denise Godinho, para que haja maior crescimento do setor de orgânicos no Brasil, “os governos precisam investir em recursos e em tecnologia”.

 

(Veja a íntegra da matéria, publicada originalmente em 16/07/2013, por Exame.com, através deste link.)

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+